Resenha do Livro Homens Sórdidos: A Banalidade Gera Aventuras

Resenha do Livro Homens Sórdidos A Banalidade Gera Aventuras

Gostaria de começar essa resenha com uma frase de efeito bem elaborada, digna de causar suspiros a quem começar a ler essas linhas, mas acredito que se assim o fizer perderei tempo com algo que preciso deixar para o livro.

Homens Sórdidos, de Fábio Hingst, é uma alta fantasia épica com doze visões diferentes. São doze protagonistas tentando sobreviver a maior ameaça da existência: a vida.

Isso mesmo. Estamos falando de um mundo visceral, banal, cruel – qualquer semelhança com a Terra é mera coincidência – e para sobreviver é preciso mais do que ser o escolhido, ter magia ou ser rico. Nas paredes de Wellfare existe veneno e dor, elas carregam a mágoa ácida da raiva, feito uma fera voraz pronta para destroçar.

Visceral…

Essa é a palavra que melhor condiz com essa história; visceral.

Atos Banais, Consequências Hediondas

Para se dar um resumo catalográfico, esse livro é uma publicação da editora Perensi, classificado como ficção fantástica e com lindas 304 páginas para serem lidas tanto no físico quanto no digital.

Homens Sórdidos foi uma história que tive o prazer de conhecer nos seus bastidores. Fui leitora beta de suas linhas nascidas do coração de um escritor cheio de desejo por mostrar que o brilho envolvendo as grandes fantasias é superestimado.

Rompendo o paradigma clássico do que significa a ficção fantástica literária – atribuída quase unicamente à presença da magia –, Fábio Hingst traz a visão mais realista da vida humana em época medievalescas.

Banalidades vividas por doze homens, sordidez em atos de sobrevivência, os carregam ao ápice, ao cume da dor e a perdição, a depender do que significam as consequências de seus atos.

Intitulados segundos suas funções, cada capítulo é na visão de um desses protagonistas. Guiados por uma narrativa rica, fluente e envolvente, somos levados a entender que a vida por si só pode ser uma grande aventura – para bem ou para o mal.

Um Cenário Inspirador e os Bastidores

De todos os aspectos mais belos que encontro na escrita desse livro, as descrições se destacam. Com um cenário, muitas vezes grotesco, o autor nos leva por uma viagem ao mundo de Wellfare – sim, tem um mapa lindo na edição.

Particularmente, os livros com descrições elaboradas e floreadas são os que mais me cativam. Gosto de imaginar os lugares como o autor criou, mesmo existindo o tão precioso espaço da omissão entre escritor/leitor, a lacuna necessária para quem lê criar segundo suas impressões, ainda prefiro os longos parágrafos sobre o ambiente, inserindo as emoções das personagens no processo.

Como disse anteriormente, fui leitora beta e revisora crítica dessa obra. Participar dos bastidores é uma experiência mágica. É compor, nem que seja por alto, um pouco da trama, é ajudar no nascimento da história, mesmo que não seja eu a parir. Dentre as atribuições adquiridas ao conhecer o mercado editorial e me capacitar para oferecer serviços editoriais, a leitura crítica e a leitura beta são as duas funções que mais me encantam.

Existem muitos aspectos que envolvem o nascimento de um livro, talvez a etapa mais gostosa seja o momento em que entregamos ao primeiro leitor e recebemos os primeiros feedbacks é o mais empolgante.

Serei sempre muito grata e honrada por Fábio Hingst me escolher para compor essa trilha – e sigo ao lado do autor com os próximos exemplares produzidos.

Sobreviver Exige Determinação

Acostumados com o herói que sobrevive, não importa as circunstâncias, temos o conforto emocional de que ficará tudo bem no final. Nosso grandioso George Martin, autor dos livros As Crônicas de Gelo e Fogo – saga que inspirou a série Game Of Thrones –, rompeu esse paradigma com suas famosas mortes trágicas.

Fábio é um fã de carteirinha desse grande autor da ficção fantástica, em suas linhas vemos muitos ensinamentos viscerais que nosso querido Martin ensinou nos seus calhamaços literários.

O que me deixou inteiramente entregue a história do livro Homens Sórdidos foi a proximidade com preocupações reais, mesmo os aspectos que incluem situações extraordinárias, como o surgimento de uma fera lendária. A forma como Fábio escreve possui uma característica marcada: tornar épico o banal.

Buscamos na literatura de fantasia a fuga da realidade, o sair dessa existência decrépita e mergulhar em um mundo onde o impossível é alcançável. No entanto, quando inseridos de modo a acreditar naqueles elementos tão inteiramente surreais, chegamos a imensa concordância de que o simples fato de sobreviver por si só é uma aventura.

Homens Sórdidos vai te desestabilizar em muitos sentidos, mas, acima de tudo, vai te fazer sentir que o mais ínfimo e inocente ato pode ser mortal.

Beijos de Fogo.

Um Pouco Mais sobre o Livro

Para adquirir o exemplar físico do livro Homens Sórdidos basta clicar aqui.

Caso deseje a versão digital, acesse esse link.

Conheça mais o autor e a editora acessando suas redes sociais: Fábio Hingst e Editora Perensi.

Acompanhe minhas atualizações de leitura em tempo real lá pelo Skoob.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *